quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Duas vezes Drummond


Poeta, contista e cronista, Carlos Drummond de Andrade foi também um grande tradutor. É um panorama dessa última faceta dele que o público pode conhecer melhor em "
Poesia Traduzida", volume que acaba de ser lançado e que reúne poemas traduzidos por Drummond para jornais e revistas, a partir do inglês, do espanhol e do francês.

Em mais de 400 páginas, o livro traz o autor de "Claro Enigma" vertendo para o português poetas como
Bertolt Brecht, Federico García Lorca, Paul Morand e Pedro Salinas (são 44, ao todo). Há, ainda, um capítulo de notas, pelas quais os leitores têm acesso a explicações sobre as circunstâncias da publicação de cada poema.

(Leia aqui "A casada infiel", de García Lorca, em tradução de Drummond)

* * *

E centenas de poemas inéditos e dedicatórias feitos pelo poeta mineiro para homenagear colegas e fãs chegam agora ao grande público. "Versos de Circunstância", lançado em junho, reúne ao total 295 poemas – desses, 229 nunca antes publicados –, escritos entre 1951 e 1968, e diversas anotações que Drummond fazia em três pequenos cadernos da marca De Luxe, etiquetados justamente como "Versos de circunstância". Esses cadernos estavam guardados no Arquivo-Museu da Literatura Brasileira da Fundação Casa de Rui Barbosa (AMLB), no Rio.

O livro – com todos os poemas em fac-símile – possibilita ao leitor conhecer, por exemplo, as dedicatórias em verso que Drummond escreveu para parentes e amigos como Otto Maria Carpeaux, Lygia Fagundes Telles e José Olympio. "O registro desses versos circunstanciais teve em sua origem, necessariamente, a consciência aguda do desaparecimento, da dispersão, mas também o sentimento de que a escrita pode ultrapassar a morte", ressalta Eucanaã Ferraz, consultor de literatura do Instituto Moreira Salles e organizador da obra.

(Do CulturaNews)

Um comentário:

Maíra da Fonseca Ramos disse...

Ando encantada com o livro...